Arquivos

Crivella promete debate “sem baixaria”

Após disparar forte contra o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), ontem (21), em Guarus, o senador Marcelo Crivella (PRB) acenou com uma “bandeira branca” nesta quarta-feira (22). Ele acredita que o clima de beligerância visto entre ele e o adversário não deve se repetir no debate da TV Globo, marcado para amanhã (23), após a novela “Império”. Os debates entre os dois foram marcados até aqui por acusações de corrupção e vínculo entre política e religião.

Segundo Crivella, desta vez sua intenção não é entrar em um embate com Pezão. As trocas de acusação deram o tom dos debates da revista “Veja” e da rádio “CBN”, principalmente. “Vou para apresentar as minhas propostas. Acho que vai ser um debate duro, mas espero que sem baixaria”, disse.

O senador decidiu centrar sua campanha no interior do estado na reta final. Nesta terça-feira, ele fez corpo a corpo no comércio de Bacaxá, em Saquarema, na Região dos Lagos, após passar por Nova Friburgo, na Região Serrana. Ainda estão previstas passagens por São Pedro da Aldeia, Araruama, Cabo Frio e Iguaba Grande.

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

Aécio liga para Romário e coloca Ronaldo no “banco”

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, vestiu a braçadeira de capitão e entrou em campo para acabar com a rixa entre Romário e Ronaldo Fenômeno, que estaria atrapalhando a aliança. Aécio ligou diretamente para Romário e disse que prefere ficar com o senador eleito pelo PSB do Rio com 4,5 milhões de votos. Ou seja, em, caso de disputa entre os dois, quem vai para o “banco” é o Fenômeno.

O Baixinho respondeu que topa gravar para o programa eleitoral do tucano, desde que ele inclua no seu programa de governo a implantação de uma rede para diagnóstico e tratamento de pessoas com deficiências e doenças raras, a moralização do futebol e uma efetiva política de combate ao crack.

Aécio já aceitou as exigências e, como diz um político tucano, a bola está na pequena área, restando a Romário apenas tocá-la para o gol.

Ronaldo fez birra - O senador eleito já havia acenado com o apoio ao presidenciável do PSDB. Mas um interlocutor procurou Ronaldo Fenômeno, sábado à noite, para combinar como o anuncio da decisão seria feito. Mas Fenômeno, que está com Aécio desde o início da campanha, disse que, antes, Romário deveria lhe pedir desculpas, já que andava falando mal dele.

Marrento como sempre, o Baixinho, claro, não apareceu na caminhada dos tucanos, no dia seguinte, na Praia de Copacabana.

Fonte: Extra, Extra/Berenice Seara 

Atualização às 19h – Fechado - Aécio conseguiu fechar o apoio de Romário. Na tarde desta quarta-feira, em Brasília, Romário gravou dois vídeos que serão exibidos no programa de TV de Aécio. No maior deles, de quase 40 segundos, o senador eleito reforça o discurso de mudança do candidato de oposição. No outro, numa fala de 15 segundos, Romário cita os compromissos assumidos por Aécio para ter seu apoio: a causa das pessoas com deficiências e doenças raras e a moralização do esporte.

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

Rosinha: “Se Aécio ganhar as parcerias acabam”

Facebook/Maninho Azevedo

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) entrou de cabeça na campanha da presidente Dilma Rousseff (PT). Ontem (21), durante comício no Jardim Carioca, em Guarus, ela citou parcerias da Prefeitura com o governo federal, disse que o desgaste por conta do mensalão “caiu no colo da Dilma” e afirmou que a vitória do tucano Aécio Neves representa um risco aos campistas. ”Das creches que construí, oito foram com recursos do governo federal. Foram 12 unidades de saúde, quadras cobertas nas escolas, banco de sangue, muitas parcerias. Se o Aécio ganhar, as parcerias acabam. Como com o governo estadual. O governo do estado não honra suas obrigações que tem com a cidade. Vou entregar 10 mil casas populares sem ajuda do estado. Pois se tivesse, entregaria mais”, discursou Rosinha.

Saia justa - Apontado pela prefeita Rosinha como um risco para o município de Campos, o PSDB é seu aliado na cidade. Inclusive, o vice-presidente do partido em Campos, o tucano Robson Colla, é gerente do Centro de Informação e Dados de Campos (Cidac). E agora, será que os tucanos da planície vão rebater a declaração da prefeita?

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

“Segundo turno” da Alerj com 300 mil votos pendentes

Se o segundo turno para o governo do estado termina no próximo domingo (26), o mesmo não pode ser dito em relação ao “segundo turno” para a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), que ainda deve contar com muitos capítulos até a diplomação, em dezembro. Por enquanto, 59 dos 70 eleitos respiram aliviados. Porém, os 11 deputados eleitos na sobra (com os votos excedentes das legendas) já estão envolvidos em uma verdadeira “Dança das Cadeiras”. Ao todo, somando todos os candidatos que aguardam a definição da Justiça, são mais de 300 mil votos pendentes. Os partidos tiveram até 48 horas para recorrer após a eleição. São esses votos que podem modificar a lista dos eleitos nos próximos dias. O blog já havia comentado sobre o assunto (aqui).

Disputa entre PR e PSD - O site Ururau publicou matéria informando que o PSD, segundo partido com o maior número de parlamentares eleitos, oito ao todo, e conquistou sua última cadeira sendo a 11ª ‘das excedentes’. Quem está de ‘olho’ nesta vaga é o PR, que ficou logo atrás. O PSD teve 759.338 votos (nominais e legenda), e ficou com 1.438 votos à frente do terceiro partido com a maior votação e que teve sete deputados eleitos, o PR, com 757.900 votos.  No momento o PR, que estava coligado ao Pros, busca junto à Justiça Eleitoral mais de 30 mil votos a serem computados para legenda. Ou seja, se apenas 10% desses votos barrados forem liberados, o PR fica com a cadeira que hpje está com o PSD. Por sua vez, o PSD teria apenas 161 votos a serem recuperado.

Outra possibilidade - Existe ainda há possibilidade, pela quantidade de votos a serem recuperados, de o PR assumir até mesmo a 10ª cadeira (dos excedentes de legenda) que ficou com a coligação PPS/PSDB/DEM, e se de fato esse novo quadro for confirmado, e para isso o PR teria que reconquistar pelo menos 18 mil votos, poderia então o PPS e o PSD terem que brigar pela 11ª cadeira. Neste caso, o PSD ainda sairia em desvantagem, já que o PPS tem em torno de 5 mil votos para reconquistar.

Segunda maior bancada - No momento os advogados do PR acreditam que o partido pode ficar com a segunda maior bancada da Alerj, com oito cadeiras, e o PSD passaria a sete. O PT elegeu seis deputados; Psol, cinco; PP, quatro; PDT e SD, três; PPS, PRB, PTB, PSDB e PSL, dois; PCdoB, PSDC, PTC, PTN, PTdoB, PRTB, PSB, PSC e PHS, um.

Na “Dança das Cadeiras”, o deputado estadual Geraldo Pudim continuaria na Alerj e o PSD, que elegeu oito deputados, perderia uma das vagas

Quem entra? – O deputado estadual Geraldo Pudim (PR), com 25.881 votos, ficaria com a oitava vaga de seu partido, cabendo ao sistema do Tribunal Eleitoral a responsabilidade de apontar quem perderia a vaga. Desta forma, a 1ª suplência do PR ficaria com Marcos Figueiredo, a segunda com o vereador Gil Viana e a terceira suplência com Pastor Éber. Nos bastidores do grupo rosáceo a entrada de Pudim vem sendo dada como certa. Cerca de cinco mil votos já teriam sido recuperados, o que garante ao partido mais uma cadeira.

Chiquinho da Mangueira, da coligação PSDC/PMN, também já está “aquecendo” para entrar em campo

Outra alteração que pode ocorrer é com a coligação PSDC/PMN que tem mais de 70 mil votos a serem computados, e isso ocasionaria a perda da única cadeira conquistada pelo PRTB/PPL, que ficou com Graça Pereira. Neste caso, o beneficiado seria Chiquinho da Mangueira (PMN), que obteve 27.182 votos.

Atualização às 17h50 – Deputado Geraldo Pudim divulga Nota Oficial

Nota Oficial: 

Com relação as notícias acerca da possibilidade de assumir um novo mandato na Alerj cabe esclarecer:

Sagrei-me 1º suplente pela coligação PR/PROS nas eleições de 05 de outubro com total de 25.881 votos.

É com grande expectativa que todos os partidos, inclusive o PR, aguardam o julgamento de recursos de candidatos que, por motivo ou outro, não tiveram seus votos incluídos na primeira totalização apresentada pela Justiça Eleitoral.

O Partido da República também aguarda com justificável ansiedade o resultado dos julgamentos dos recursos de diversos candidatos de nossa sigla que atualmente somam 37.663 votos(não computados).

Em nosso Estado o total de votos que aguardam para serem computados ou não é de 304.141 entre todos os partidos que tiveram candidatos que disputaram uma vaga a deputado estadual.

Até agora o Partido da República conseguiu que fossem recuperados(ainda não computados) 5517 votos, resultado que certamente altera a composição de uma das 70 cadeiras da Assembleia Legislativa.

Não fomos comunicados, em absoluto, pela Justiça Eleitoral sobre qualquer movimentação que venha alterar nosso quadro em relação ao resultado das eleições. Assim como todos vocês acompanhamos de perto o julgamento de todos os recursos.

Para além disso todo resto ainda se encontra no campo da especulação, sob o qual não nos balizamos para qualquer tomada de decisão.

No mais continuarei exercendo minhas funções de deputado estadual até o dia 01 de fevereiro, honrando os votos que recebi do povo nesta e nas últimas eleições.

Até a vitória sempre!

Deputado Estadual
Geraldo Pudim

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

Em Campos, Crivella e Garotinho disparam forte contra Pezão

Ao lado de Garotinho, Crivella disse que Pezão roubou a Petrobras
Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Na terra do deputado federal Anthony Garotinho (PR), o senador Marcelo Crivella (PRB) deixou o estilo tranquilo de lado e pegou emprestada a metralhadora giratória do seu novo aliado. Em seu discurso, no Jardim Carioca, o bispo da Igreja Universal acusou o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) de fazer parte do escândalo de corrupção da Petrobras. “Daqui a pouco vai sair nos jornais a mão do Pezão no escândalo da Petrobras. Vai ser uma vergonha ver este homem ser apeado do poder e a eleição ser anulada. Ele roubou a Petrobras”, disse Crivella, sem meias palavras, durante o discurso de ontem (21).

Após atacar Pezão, Crivella elogiou Garotinho e afirmou que o aliado já “lambeu as feridas”. “Foram tantas injúrias que Garotinho sofreu ao longo da campanha, que acabaram abalando sua candidatura. Mas eu peço ao povo de Campos que enxugue as lágrimas. O revés não diminui, nem desmerece Garotinho, sobretudo após este gesto de esquecer a dor, lamber as feridas e se unir a uma candidatura com apenas um pedido: derrotar Cabral”, disse Crivella.

Discurso feroz - Ainda magoado com a derrota no primeiro turno, Garotinho fez um discurso feroz contra o atual governo e se uniu a Crivella junto com a esposa, a prefeita Rosinha Garotinho, e a filha, Clarissa, deputada federal mais votada do estado. “O povo foi para as ruas dizer Fora Cabral porque Cabral fechou 300 escolas, prendeu bombeiros e policiais e mandou para Bangu I para ficar com bandidos do Comando Vermelho. Isso é covardia”, disse Garotinho. O ex-governador disse ainda que Pezão não deveria ser impedido de disputar a reeleição porque foi, de fato, o governador no últimos oito anos, e não Sérgio Cabral. “O cachorro de estimação do Cabral usava o helicóptero do governo do Estado que é para salvar a vida de pessoas. E onde estava o Pezão? Quando viajou para Paris para dançar na boquinha da garrafa com guardanapo na cabeça, onde estava o Pezão? O Cabral vivia viajando e esta porcaria de governo que está aí é o governo do Pezão”, disparou Garotinho.

Garotinho lançou movimento contra a compra de votos – Facebook/Clarissa

Compra de votos - No fim, Garotinho pediu que o povo chame a polícia no dia da eleição e denuncie ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a compra de votos que, segundo ele, é prática corrente do PMDB de Luiz Fernando Pezão. E acusou o presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Melo, de ser um dos responsáveis pelo crime eleitoral. “Não estamos no Carnaval. Tirem a máscara do Pezão que vocês verão a cara do Cabral por trás. O pé dele é grande, mas é sujo. Político que compra voto é bandido. O Paulo Melo desceu de helicóptero com malas de dinheiro aqui em Campos no dia da eleição. Vamos expulsar essa gente aqui de Campos. Liguem para a polícia, liguem para o TRE. Quem compra voto, compra dignidade e cidadania”, disse Garotinho.

Fonte: O Dia 

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

Vereadores com um “pezão” na oposição

A bancada oposicionista na Câmara de Campos, que começou o ano com apenas quatro membros (Nildo, Rafael, Fred e Marcão), pode terminar com reforços. Se alguns nomes ainda aguardam o resultado da eleição, já tem gente querendo declarar apoio ao governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) ainda na reta final deste segundo turno. “Estou com um ‘pezão’ na oposição”, diz um parlamentar rosáceo.

Como o blog já informou (aqui), alguns vereadores devem ser dispensados do “rolo compressor” logo após o segundo turno. Com isso, os parlamentares devem embarcar na oposição em 2015 já visando a eleição de 2016.

Bonde dos insatisfeitos - Além dos vereadores que estão flertando com a oposição, há também um grupo disposto a continuar no governo, mas sem o mesmo “amor” de antes. Tudo por conta das brigas internas durante a eleição.

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

Ex-comandante-geral da PM pede votos para Crivella

O ex-comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, decidiu fazer campanha para Marcelo Crivella (PRB). O oficial está compartilhando mensagens de texto relembrando episódios que ele considera como “linchamento moral” da corporação. Citando que a PM foi “constrangida a dançar funk fardada” num programa de televisão e que precisou se “amesquinhar” diante de uma ONG formada por ex-traficantes, o coronel pede que “companheiros de armas” digam não ao “escárnio” da PM. “No próximo domingo vamos escolher entre continuar a aceitar pacatamente o vexame público, o linchamento moral e a excentricidade desrespeitosa por mais quatro anos ou mudar tudo”, diz trecho do texto.

Atual secretário de Políticas de Segurança de Duque de Caxias, cujo prefeito Alexandre Cardoso apoia Pezão, o ex-comandante confirma que aproveitou o momento político para disseminar as antigas críticas. “Minha adesão ao Crivella é pela necessidade de corrigir o que foi desvirtuado. Nem tenho WhatsApp, mandei por e-mail (o texto) para amigos e agora está pulsando nas redes. Minha crítica é ao fato de a Secretaria de Segurança expor os policiais”, justificou Mário Sérgio.

Fonte: Extra,Extra/Berenice Seara

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

Metamorfose ambulante

O pastor Silas Malafaia apareceu sábado no programa de TV de Luiz Fernando Pezão descendo a borduna na igreja Universal (veja a primeira parte do vídeo aqui). Seus adversários, no entanto, já começaram a explorar a contradição do pastor na TV (Veja a partir de 1 minuto e 10 segundos). Em 2010, Malafaia pediu votos para Crivella na TV chamando-o de “pastor abençoado”. Um ano antes, mais elogios no programa de Raul Gil na Record. “Meu amigo. Admiro você (…) pelo espírito conciliador”.

Assim como em 2012, Malafaia recebeu Crivella em seu programa de TV no maior clima de camaradagem (Veja o vídeo aqui).

Fonte: Radar Online

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

Clarissa: “Não sou fã do PT, mas tenho lado e posição”

Selfie: Dilma e Clarissa – Facebook/Clarissa

A deputada estadual Clarissa Garotinho (PR), que se elegeu deputada federal com 335 mil votos e, em 2006, chegou a usar uma camisa com a frase “Fora Lula”, publicou, no Facebook, uma foto ao lado da presidente Dilma Rousseff  e comentou sobre a sua postura neste segundo turno. “Não sou fã do PT. Não tenho paixão neste segundo turno nacional. Mas tenho lado e posição. É inegável que temos no Brasil o maior programa de combate à fome! O ProUni permitiu que milhares de jovens tivessem acesso à Universidade. A descoberta do pré-sal e a destinação de boa parte dos recursos para a saúde e a educação são conquistas importantes para o Brasil. O mundo está sendo afetado por uma grave crise econômica e estamos conseguindo superar sem corte de salários e diminuição de empregos. Existem problemas, sim! Muitos. Não só neste governo, no do PSDB também. E que os culpados de ontem e de hoje sejam punidos. No mais… prefiro que vença o campo popular!”, afirmou Clarissa.

No ano passado o PSDB flertou com o PR-RJ e Clarissa Garotinho chegou a ser cogitada como um reforço no ninho tucano

Conversas com Aécio - Antes do selfie com a presidente Dilma Rousseff e do apoio nesta eleição, Clarissa Garotinho chegou a trocar ideias com o senador Aécio Neves (PSDB). Inclusive, no ano passado, cogitou-se a possibilidade de Clarissa se filiar ao PSDB (aqui), em setembro do ano passado. Antes, em abril, Clarissa teria dito (aqui) que não havia compromisso do PR-RJ em apoiar a presidente Dilma. Porém, com o surgimento do movimento “Aezão”, que uniu aliados de Aécio e do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), o PSDB abandonou a ideia de apoiar Garotinho e encerrou o “namoro” com o PR-RJ.

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites

Ibope, votos válidos: Pezão sobe, Crivella desce e diferença aumenta para 12 pontos

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (20) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos na corrida para o governo do Rio de Janeiro:

Luiz Fernando Pezão (PMDB) – 56%
Marcelo Crivella (PRB) – 44%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo.

No levantamento anterior do instituto, divulgado na quinta-feira (16), Pezão tinha 54% e Crivella, 46%. Ou seja, nos últimos dias o governador ganhou dois pontos e o senador perdeu dois. Sendo assim, a diferença que era de oito pontos percentuais agora chega a 12 pontos, dando ao governador a liderança isolada.

Votos totais

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

Luiz Fernando Pezão (PMDB) – 46%
Marcelo Crivella (PRB) – 36%
Branco/nulo – 13%
Indecisos – 5%

O Ibope fez a pesquisa nos dias 17 a 19 de outubro. O instituto ouviu 2002 eleitores. A margem de erro é de dois pontos, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número RJ-00073/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR 00073/2014.

Datafolha – Na última quinta-feira o instituto Datafolha também mostrou o governador Pezão liderando com uma vantagem de 12 pontos sobre Marcelo Crivella (aqui). O levantamento apontou Pezão com 56% das intenções de votos contra 44% do senador Marcelo Crivella (PRB). Os percentuais se referem aos votos válidos, ou seja, não contabilizam os votos em branco ou nulos, o mesmo procedimento utilizado pela Justiça Eleitoral na apuração das eleições.

Fonte: G1

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites
Copyright © 2010 - Folha da Manhã - Todos os direitos reservados